23 agosto 2005

Por-do-sol Severense

Olá amigos!
Desta vez, o que me traz por cá, é esta belissíma fotografia que tirei no passado domingo ao final do dia, bem perto de minha casa, que para quem não sabe fica na freguesia de Cedrim.
Trata-se de um esplêndido por-do-sol na encosta tardoz à vila de Sever do Vouga.
Sever do Vouga é assim... Cheia de encantos mil, repleta de espaços unicos de lazer, como é o mais recente parque da vila. O vale que se estende à frente da Câmara Municipal de Sever do Vouga, desde sempre conhecido como Piolhosa, vai agora transformar-se num parque de lazer, com múltiplas valências. A intervenção, que deverá estar concluída em Março do próximo ano, dotará aquela área (agora rebaptizada de Parque Urbano da Vila) de um circuito de manutenção, um lago com repuxo, um court de ténis, um mercado tradicional (para venda de produtos regionais), um parque de merendas e um bar para apoio dos visitantes. Adquirido há cinco anos pela edilidade, o terreno de dois hectares onde se situava a Piolhosa vai ter também o ribeiro que ali passa recuperado, podendo ser depois atravessado por duas pontes ornamentais que ali vão ser colocadas. Do projecto, orçado em cerca de cerca de dois milhões de euros, fazem também parte um anfiteatro ao livre, um xadrez gigante e um parque de estacionamento.

18 agosto 2005

Ponte do Poço de Santiago

Ao património artístico de Sever do Vouga pertence aquela que é considerada o ex libris do concelho - a Ponte do Poço de Santiago - verdadeira obra monumental, toda ela construída em alvenaria e com 28,5 metros de altura, constituindo um símbolo de identidade de toda a região. A ponte insere-se num recanto natural verdadeiramente paradisíaco de verdes matizantes das montanhas que desaguam languidamente nas águas do rio Vouga, donde sobressai pela sua imponência, majestosa e sóbria, transmitindo uma imagem ímpar de beleza natural e artística. Vários estudiosos defendem ser esta a mais alta ponte do país construída em pedra. Com 165 metros de comprimento, é constituída no seu todo por 12 arcos de tamanhos vários. O maior, de forma parabólica, abraça firmemente as margens do rio Vouga, tendo de altura 27 metros e de vão (comprimento da base) 53 metros. O fecho deste arco, o central, apresenta apenas 90 cm de espessura. Os restantes 11 arcos partilham da base do arco maior, havendo uma duplicidade de soluções geométricas e de engenharia verdadeiramente arrojadas. Nela circulava o saudoso comboio do Vale do Vouga, extinto em 1972 e substituído por automotoras. Agora é a circulação viária que assegura as funções que dantes estavam cometidas ao "Vouguinha". A construção da Ponte do Poço de Santiago remonta ao ano de 1913, tendo sido necessários 3 a 4 anos para a sua conclusão e teve como orientador no terreno o engenheiro francês F. Mercier.

Vista parcial das Minas do Braçal.

Nesta imagem apresento uma bela vista parcial das Minas do Braçal.
O parque fica situado na freguesia da Senhorinha a 3Km de Sever do Vouga. Foi em tempos uma exploração de minério, mais propriamente de chumbo argentífero e de volframio embora em pequenissimas quantidades. Era extraido também prata, mas nem sequer eram utilizadas para fazer barras pk era em pequenas quantidades mesmo. As minas foram exploradas pelos romanosNo fundo descobrir Sever do Vouga é percorrer paisagens e tempos deixados nos lugares certos, pela natureza e pelas suas gentes que, através da sabedoria popular e erudita, demarcaram esta região do Médio Vouga.
As antigas minas do Braçal, em Sever do Vouga, desactivadas em 1959, vão transformar-se num complexo turístico. O objectivo é requalificar os equipamentos desactivados e a vasta mata que envolve o complexo mineiro. Os promotores, Câmara e privados, querem construir infra-estruturas culturais, de lazer e desportivas. Trata-se de um dos projectos mais arrojados da história do concelho. O projecto foi alvo de candidatura ao PITER-Programas Integrados Turísticos de Natureza Estruturante e Base Regional. Encontra-se na fase de elaboração dos projectos de arquitectura e especialidades, que devem ser aprovados até ao próximo mês. Não há ainda um calendário para as obras, mas a previsão de investimento ronda 8,4 milhões de euros. A gestão do empreendimento ficará a cargo de privados, como é o caso da Portucel, detentora dos terrenos. Outros investidores estão a ser analisados pela empresa responsável pelo estudo económico. Para o presidente da Câmara de Sever do Vouga, o projecto só traz vantagens: "Vai criar oportunidades para toda a população, ao dinamizar vários equipamentos do concelho, criando emprego e fixando a população", afirma Manuel Soares. O passado das minas, de extracção de chumbo argentífero, vai ser recordado com a construção de um ecomuseu, onde os visitantes poderão conhecer as memórias do complexo mineiro, a partir de indicações e reconstituições em fotografias do espólio existente. O objectivo é fazer uma ponte entre o que existia e o que restou. Quem quiser desfrutar a noite, poderá ficar instalado num dos 50 quartos duplos da estalagem, com sala de refeições, com capacidade para 200 pessoas, recepção e venda de artesanato local. O lazer é garantido por uma área de serviços complementares que compreende squash, sauna, ginásio, massagens e espaço para banhos, que serão implantados num edifício existente. Além de dois campos de ténis, campo relvado para futebol, campo de jogos tradicionais, minigolfe, piscina exterior aquecida e parque desportivo de lazer e aventura que irá reaproveitar alguns edifícios já existentes. Outra aposta é o centro hípico, com a construção de um picadeiro coberto e de um exterior adjacente. Os visitantes poderão ter ainda acesso à área de formação, com auditório, sala de leitura e anfiteatro ao ar livre. 100000 m2 é a área de intervenção do projecto turístico para as minas do Braçal. 4 campos de ténis, futebol e jogos tradicionais estão previstos. 3000 m2 área que deverá ter o eco-museu. 16 espaços vão ser criados no Braçal. 2 restaurantes e café estão projectados. 50 quartos vai ter a estalagem. 8,4 milhões de euros é a previsão de investimento para reaproveitar o antigo complexo mineiro.

16 agosto 2005

Cartão de Visita...

É com enorme entusiasmo que me inicio com este blog no "blogger", e para tal dou partida a esta minha viagem com esta fotografia tirada nas verdejantes paisagens em redor da pacata vila de Sever do Vouga.
Situado no centro do país, mais concretamente no limite oriental do distrito de Aveiro, o concelho de Sever do Vouga beneficia da proximidade relativa de alguns importantes centros urbanos, nomeadamente de Aveiro, Coimbra, Porto e, da proximidade de dois dos principais eixos rodoviários portugueses, a A1, que liga Lisboa ao Porto, e o IP5, itinerário principal, via de acesso e de abertura do concelho ao país e à Europa.
Tem como concelhos limítrofes Vale de Cambra, Águeda, Albergaria-a-Velha e Oliveira de Azeméis, todos pertencentes ao distrito de Aveiro e Oliveira de Frades que pertence ao distrito de Viseu.

Embora administrativamente faça parte da Beira Litoral, Sever do Vouga possui características únicas que se assemelham às das regiões do interior. De facto, o cunho geomorfológico e cultural, reflectido no património edificado e popular, determinam uma tipicidade própria de uma região do interior e Sever do Vouga acaba por ser muito mais um espaço de transição entre a Beira Litoral(serra) e o Litoral propriamente dito. O concelho possui uma população residente de 13.826 habitantes, 27% no sector primário(agricultura), 43% no sector secundário(indústria) e 30% no sector terciário(turismo e serviços).